25
mai
2016
ESCREVA UM POST SOBRE

Temos um Escreva Um Post Sobre saboroso:

Escreva Um Post Sobre o seu último almoço.

or_talheres_still_01

* Após escrever seu texto, deixe o link nos comentários que divulgamos na semana que vem!





19
mai
2016
UM MOTIVO PRA SER IDIOTA

Perdi o celular. Ou me roubaram. Das duas hipóteses prefiro a segunda. Consigo lidar melhor com a impotência do que com a distração. Eu só me levantei da poltrona do ônibus lotado e dei dois passos pra descer no ponto. Ao chegar em casa, eu já estava bem longe das minhas redes sociais, fotos pessoais (sem nudes) e conta no Uber.

Eu soube de uma garota que passou pela mesma coisa e chorou. Eu não chorei. E olha que sou fã da cara salgada. Mas nesse caso, não vi muito sentido. Fiquei de mau humor. Bloquear chip, bloquear imei, colocar na black list, buscar o iphone pra saber onde ele está (não descobri), isso tudo me irritou muito. Depois senti vergonha. É só um celular. Nada grave. É só um celular. Você pode ficar sem. Você pode.

Fiquei dois dias sem.

Tá caro.

Eu realmente preciso?

Eu posso?

Contatos profissionais estavam no whatsapp. Preciso da câmera pra gravar alguns vídeos. Preciso de internet pra chamar taxi. De bloco de notas pra trancar as ideias. Só de pensar nas facilidades que eu estava perdendo já comecei a entrar em pane. Como se eu não soubesse fazer mais nada sem usar o celular. Ou como se fazer alguma coisa sem o celular fosse trabalhosa demais.

Não tive saída.

Comprei outro. Doze vezes. Prometendo não chorar todo mês quando olhar pra conta do cartão de crédito. Tá caro mesmo. Me sinto feita de idiota. E assinando sem resistência o meu contrato de idiota por pelo menos um ano. Você é uma idiota que não ganha desconto da sua operadora de anos. Você é uma idiota que não muda o sistema operacional porque se acostumou com outro. Você é idiota porque gosta de resolver as coisas na hora. Você é idiota porque você quer. E medrosa. Porque não tem coragem de se livrar dessa vida moderna que tá todo mundo vivendo. Você já se livrou de tanta coisa. Por que não consegue se livrar de um celular?

Mas ele grava em câmera lenta. How cool is that?

Idiota mesmo.

*

por Priscila Nicolielo.





18
mai
2016
ESCREVA UM POST SOBRE

O tema do Escreva Um Post Sobre de hoje está reflexivo:

Escreva Um Post Sobre você.

espelho

* Coloque o link de seu texto aqui nos comentários que divulgamos na semana que vem!





17
mai
2016
VOCÊ VENCEU PELA CORAGEM

imagem coragem

Eu sabia que iria dar certo, querida. E não é porque adivinho o futuro ou tenho Síndrome de Pollyana – pelo contrário, sou uma twitteira-reclamadora-crônica assumida. Que às vezes dorme pra fugir da vida. Que cancela programas de fim de tarde com as desculpas mais esfarrapadas possíveis. Que é tão humana quanto você. E que possui mais ou menos as mesmas inseguranças. Com uma diferença crucial: eu acredito na sua capacidade de suportar e driblar os reveses da vida, ao contrário de você, que se acha fraca. Consigo visualizar as qualidades que ignora. O talento que pulsa em suas artérias 168 horas por semana, e passa despercebido pelo seu filtro de autocrítica rígida e impiedosa.

(leia mais…)





16
mai
2016
NÃO TENHA PRESSA, NÃO
Categorias: Paula Dylbas, TEXTOS

mãosdadas

Vai devagar, cara. Por que a pressa se temos tempo? Vai por mim, a calma é simpática à perfeição e se complementam. Meu coração é calejado, moço. Não peça que eu me apresse, porque nunca aprendi a ser doce. É muita aspereza que aprendi com os descomeços. Os inúmeros que andei colecionando por aí. (leia mais…)





11
mai
2016
O que faz você se sentir completo?
Categorias: Sem categoria

pri23

procura-se algo

que me faça sentir

profundamente

tocada

para além do tato

no sentido

oposto ao literal

 

algo

que ainda queime

depois do verão

que ainda doa

após cicatrização

que ainda escorra

pelo vão

 

o desejo fala

sua voz nunca foi

[tão clara

é o único som do mundo

que me interessa agora

 

e então a criança ri

 

eu lembro. alguém me disse que a idade está na cabeça. que o que faz alguém envelhecer é a nostalgia. os velhos têm saudades e os jovens têm sonhos. e isso não pode ser medido em números. ainda bem. eu quero viver cada dia e ter a certeza que nenhum céu se repetirá. quero olhar para a roda e ter certeza que aqui nunca será apenas metal e borracha. não. aquilo é destino, e caminhos, e escolhas, e tudo. uma infinidade de coisas.

o seu riso consegue acompanhar o da criança?

assin-fernanda-novaes

 





9
mai
2016
LIXO HUMANO
Categorias: Paula Dylbas, TEXTOS

LIXO

Tem dias que nos sentimos um verdadeiro e grande lixo ambulante. Hoje é um desses meus dias: um entulho humano. As reflexões me fazem constatar essa dura verdade. Nunca dei certo em nada. Sempre fui vista como pessimista, embora sempre soubesse da minha incalculável credulidade e me caracterizo como realista, pé no chão pra maioria das coisas inúteis. Trouxa ao extremo e com um dom para absolutamente nada. Um zero à esquerda, como se diz por aí. (leia mais…)





4
mai
2016
ESCREVA UM POST SOBRE

Nova semana, nova proposta:

Escreva Um Post Sobre algo que você viu hoje.

ver

 

* Deixe o link de seu texto aqui nos comentários que a gente publica na próxima semana!





3
mai
2016
NÃO TENHA MEDO DE ARRISCAR E SER FELIZ

arriscar

Sei que você tem vários receios. De morrer, perder completamente a identidade, ficar sem nenhum amigo, da grana faltar para os remédios e os livros, de não conseguir mais se relacionar com ninguém e da sua sanidade afogar na areia movediça. Não se apegue à síndrome do sofrimento por antecipação, mais conhecida como ansiedade.

(leia mais…)





29
abr
2016
A INCRÍVEL HISTÓRIA QUE NUNCA ACONTECEU
Categorias: Marcelo Gavini, TEXTOS

A INCRIVEL HISTORIAPartiu em busca de nada e não encontrou o que queria. Pedras e mais pedras e a placa de retorno a cada esquina. Meia volta, volta e meia e lá estava no mesmo lugar.

Voar, ir até a Lua, teletransportar-se daqui à constelação de Andrômeda, comer um churrasquinho de gato na esquina, pular amarelinha. Que nada. Os dias passaram, levando junto toda e qualquer possibilidade.

Nem meia volta.

Não saiu do lugar.

Girou, mas logo parou. Pois, se continuasse girando, quem sabe o efeito parafuso o transformasse em broca e o levasse daqui à China, onde veria o mundo de cabeça para baixo igual aos desenhos do Pernalonga.

Se fosse isso, teríamos a história. Uma incrível história. Porém, nada aconteceu.

Então jogou fora a caneta sem tinta, fechou o gigantesco livro de páginas em branco e tentou voltar a dormir. Só que nem os olhos conseguiu fechar.

Terminou assim, com o olhar eternamente vidrado na parede. E sem ponto final.

Marcelo Gavini